Apelação n. 47.380-9/1994

Área de identificação

Código de referência

BR DFSTM 002-002-001-005-001-47380-9/1994

Título

Apelação n. 47.380-9/1994

Data(s)

  • 19/10/1994 a 12/04/1996 (Produção)

Nível de descrição

Processo

Dimensão e suporte

Dimensão: 145 folhas, 01 volume.
Suporte: Papel.

Área de contextualização

Nome do produtor

(1926 a 1934; 1969 ao presente)

História administrativa

A Auditoria da 4ª Circunscrição Judiciária Militar é uma espécie de continuação da Auditoria de Guerra da 4ª Região Militar, que abrangia os Estados do Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, com sede na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro.
A partir de 15 de julho de 1919, pelos Decretos n. 13.651, n. 13.652 e n. 13.653, o território nacional foi dividido em sete Regiões e uma Circunscrição Militar. A 4ª Divisão do Exército e a 4ª Região Militar passaram a abranger os Estados de Minas Gerais e Goiás, tendo sua sede transferida de Niterói para Juiz de Fora.
A Lei n. 3.991, de 5 de janeiro de 1920, que foi publicada no Boletim do Exército n. 286, na mesma data, autorizou a reorganização da Justiça Militar. Com isso, as Auditorias Militares puderam ser criadas.
Mediante o Decreto n. 14.450, de 30 de outubro de 1920, que aprovou o Código de Organização e Processo Militar, foram criadas 12 (doze) Circunscrições Judiciárias, sendo a 7ª Circunscrição correspondente ao Estado de Minas Gerais.
O Decreto n. 15.635, de 26 de agosto de 1922, que trouxe modificações ao Código de Organização e Processo Militar, manda observar o decreto anterior no tocante às Circunscrições Judiciárias.
Em 26 de fevereiro de 1926, o Decreto n. 17.231-A alterou para 11 (onze) Circunscrições Judiciárias, passando a corresponder a 4ª Circunscrição ao Estado de Minas Gerais.
Foram várias as sedes do Juízo, a citar:
Consta do Relatório de 15 de janeiro de 1922, o registro de que a Auditoria se encontrava instalada na Rua Santo Antonio, n. 515, sobrado, em Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.
Em 22 de fevereiro de 1927, instalou-se no andar superior do prédio, localizado na Praça Antônio Carlos, s/n, na cidade de Juiz de Fora; prédio cedido pelo Ministério da Viação ao Ministério da Guerra.
Com a Lei n. 7.164, de 14 de dezembro de 1983, que alterou a Lei de Organização Judiciária Militar, a sede da Auditoria da 4ª Circunscrição Judiciária Militar passou a ser Belo Horizonte. A referida lei condicionou a transferência à decisão do Superior Tribunal Militar e à existência de recursos orçamentários destinados a sua instalação; mas, ao final, a Auditoria permaneceu funcionando em Juiz de Fora.
Em 30 de agosto de 1999, foi inaugurada a sede própria da Auditoria da 4ª Circunscrição Judiciária Militar, onde atualmente funciona: Rua Mariano Procópio, n. 820, bairro Mariano Procópio, Juiz de Fora – MG.

Entidade custodiadora

Histórico

Processo autuado em 9 de dezembro de 1992 na Auditoria da 4ª CJM sob a numeração 501/1992. Em 4 de agosto de 1994 foi autuado na mesma Auditoria sob a numeração 504/1994. Seguiu em 19 de outubro de 1994 para o Superior Tribunal Militar como Apelação n. 47.380-9. Foi arquivado pelo Superior Tribunal Militar em 7 de junho de 1995.

Procedência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Aos 21 de julho de 1922 em Juiz de Fora, Minas Gerais, no Quartel do Comando da 4ª Região Militar, verificou-se que o conscrito Marcus Vinicius Soares da Silva, tendo sido convocado e selecionado para prestar o serviço militar inicial no ano de 1992, designado e distribuído para ser matriculado no Tiro-de-Guerra 04-034 (Varginha-MG), no dia 20 de julho de 1992, não se apresentou na data e local que lhe foram determinados pelo órgão competente das Forças Armadas. Foi condenado a 3 meses de impedimento, por insubmissão. Com isso apelou contra a sentença do Conselho Permanente de Justiça da Auditoria da 4ª CJM.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Sem restrição de acesso, dando-se preferência ao acesso on-line, caso este esteja disponível no sítio do Superior Tribunal Militar.
Se não tiver, o documento poderá ser solicitado em: https://sei.stm.jus.br/controlador_externo.php?acao=ouvidoria&acao_origem=ouvidoria&id_orgao_acesso_externo=0

Condiçoes de reprodução

Sem restrição de reprodução, mediante autorização e compromisso de crédito.

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

  • latim

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Documento em bom estado de conservação.

Instrumentos de descrição

Área de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Pontos de acesso local

Pontos de acesso gênero

Área de controle da descrição

Identificador da instituição

Superior Tribunal Militar

Idioma(s)

  • português do Brasil

Sistema(s) de escrita(s)

  • latim

Zona da incorporação

Gêneros relacionados

Lugares relacionados

Depósito físico

  • Caixa de arquivo: AJ M27 E1 P1 C3765